Agradecer, sempre!

Com Ana Sousa.

Agradecer, sempre!

 

 Agradecer, sempre!


Vivemos, atualmente, num mundo pesado, carregado e confuso, em que as pessoas estão sempre cheias de pressa, sempre cansadas, cinzentas e sem cor! Vivemos num mundo em que as pessoas não conseguem parar para pensar, refletir, aproveitar e agradecer. Vivemos uma situação de pandemia há mais de um ano que nos trocou as voltas, que nos, limitou a liberdade e que nos condicionou os afetos e a partilha. Vivemos num mundo em que achamos que temos pouco a agradecer, porque é tudo tão intenso, tão exigente e competitivo. Pensar? Refletir? Para? Estes são os pensamentos mais comuns entre os humanos e é isto que passam para os seus descendentes, é este o legado que deixam no mundo. Felizmente, começam a existir pessoas que já dão importância a alguns destes aspetos, e que param para pensar, refletir, aproveitar e agradecer. A verdade é que temos muito mais a agradecer no final de um dia do que aquilo que imaginamos. E porque não incutir e treinar a gratidão desde cedo, na infância? 
O que trago hoje com este artigo é mesmo isso, como ensinar as crianças a praticarem a gratidão. Segundo Betsy Brown Braun, especialista em parentalidade, as crianças não nascem com o sentimento da gratidão, é um hábito que deve ser ensinado e praticado.


Mas como podemos ajudar os nossos filhos a praticarem a gratidão? 
Vamos dar uns pequenos toques de cor e magia:


 Usar e abusar de palavras mágicas, como “obrigada”, “por favor”, “desculpa”, “podes ajudar-me?”;
 Dar em vez de receber;
 Oferecer experiências e não presentes. É importante avaliar as experiências, em conjunto, no final;
 Contar cinco momentos, experiências, emoções boas no dia;
 Surpreender os filhos, com algo que sabemos que eles gostam, que valorizam ou que os faz felizes. É importante realçar que surpreender não significa dar bens materiais, mas sim experiências e momentos;
 Falar, em conjunto, sobre os melhores momentos do dia de cada um;
 Contar as nossas histórias para os nossos filhos;
 Incentivar a ajudar o outro;
 Incentivar a dar o que já não precisamos, mesmo que não seja só com o intuito de ajudar; 
 Deixar os filhos mais velhos cuidarem dos mais novos.


 Podemos, também, incentivá-los a, diariamente ou semanalmente, construir/fazer:
 Um Diário da gratidão;
 Uma Árvore da gratidão;
 Um Postal/desenho da gratidão;
 Um Quadro da gratidão;
 Um (a) Baú/caixa/pote da gratidão.


Apesar de simples, requer dedicação, treino e exemplo. Sim, porque só surtirá o efeito desejado se partir de nós, que somos o exemplo, por isso, vamos começar ainda hoje a praticar a gratidão. E assim sendo termino agradecendo a vossa leitura!



Ana Sousa
Psicóloga, Coach e Formadora
 
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
Comentários

Veja também

\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\

Envie a sua mensagem e assim que possível respondemos!

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar o acesso, você concorda com nossa Política de Privacidade. Para mais informações clique aqui.